Os dias, às vezes, parecem iguais…

saudades

"Só olhando você sem dizer nada, só olhando e pensando meu Deus ,como você me dói de vez em quando..."

Caio Fernando Abreu

9 comentários:

Universo Paralelo disse...

Amar também dói, também machuca e as vezes fere, e saber que é difícil se livrar dessa dor, pois o amor tomou conta e a gente só enxerga o lado bom, assim é o amor...beijos e bom dia!

Bauru disse...

Sônia, já estava sentindo falta dos seus comentários aqui no blog. Ando bem ausente dessa minha praia e em falta com amigos que sempre comentam por aqui como você o faz. Concordo contigo. Pensar que "tudo são flores" é um perigo. Esse filtro que usamos para enxergar as coisas é bom quando nosso momento é péssimo. Nesse caso o amor é um porto seguro. Mas nos acostumamos, ficamos deslumbrados e toda vez que nos acostumamos com algo, perdemos a noção da brevidade, do perigo. Nem sempre, enxergar apenas o lado bom é bom, mas ninguém suporta a insegurança também, né?

ANGELA disse...

Querido seu blog se perdeu do meu?Acho que é problema com o feed não vejo tuas atualizações, para conseguir vir postar aqui tive que entrar pelo endereço, as imagens dão como bloqueadas...I'm sorry, saudades de tuas frases, também ando sem tempo, viajei a trabalho,e só essa semana estou postando os outros posts eram programados sabe como é (evitar teias)rsrsrs.Como Caio Fernando Abreu falava bem de sentimentos...Ótima semana. Abraço

Tatá disse...

Caio Fernando Abreu era um mestre ao falar d sentimentos. Como não se identificar? Quem nunca se sentiu assim???

Bjssss

Luciana Maria Penteado disse...

Os dias só parecem iguais. As emoções diferem em intensidade... uma pena quando estão em baixa.

Bauru disse...

Angela, não sei bem o que aconteceu. Uma amiga disse, inclusive, que o blog tava restrito e ela não conseguia acessar. Deve ser mais um bug por causa das muitas alterações pelas quais o Blogger está passando. Espero que tudo tenha voltado ao normal por aí. Obrigado, minha querida, pelo comentário.

Bauru disse...

Tatá, os literatos têm essa capacidade né? Conseguem traduzir mesmo as almas desconhecidas. Beijo pra você.

Bauru disse...

Nem me fale, Luciana, quando estão em baixa são capazes de destruir fortalezas que aparentemente eram inabaláveis... Mas sempre é tempo de reconstruir... sempre.

♪ Sil disse...

Caio me leva sempre as lágrimas...

Postar um comentário